Dados da Internet of Things

Relação entre internet das coisas e dados

A Internet das Coisas, termo criado em 1999 por Kevin Ashton do MIT, se tornou um tópico muito falado e pesquisado atualmente, tanto pela indústria, quanto pela academia, devido ao seu potencial de conectar todo o tipo de objeto do nosso dia-a-dia à internet.
A ideia é que, cada vez mais, o mundo físico e o digital se tornem um só, através dispositivos que se comuniquem uns com os outros, com os data centers e suas nuvens. Todavia, estas possibilidades apresentam riscos e acarretam amplos desafios técnicos e sociais.

A Internet das Coisas possui inúmeras aplicações, você pode conectar geladeiras e ser notificado sempre que um item estiver em falta, conectar um carro e obter estatísticas sobre sua velocidade, consumo de combustível, quilometragem etc, ou até conectar em máquinas de uma fábrica para automatizar processos e obter estatísticas de produção.

Muito se fala sobre IoT, mas poucos se lembram qual seu principal objetivo: a coleta de dados, que serão processados com o uso de algoritmos, produzindo informações que impactem a vida de pessoas e empresa. Por isto, é importante falarmos um pouco sobre a teoria ao redor deste assunto e sobre o processo da transformação de dados em informações.

 O que são dados?

Os dados são um conjunto de valores ou ocorrências coletadas por um observador humano ou eletrônico, em estado bruto, o seja, não tratados e não alterados, a não ser pela incapacidade do observador de ser fiel a este princípio.

dado não possui significado relevante e não conduz a nenhuma compreensão. Representa algo que não tem valor algum para embasar conclusões, muito menos respaldar decisões.

 Qual a diferença entre um dado estruturado e um dado não estruturado?

Dados estruturados são dados formatados e organizados em tabelas, de modo a facilitar seu processamento por pessoas ou máquinas.

Dados não estruturados não foram organizados ou formatados, impedindo sua análise sistêmica, a não que passe por um processo de formatação.

Como exemplo desta diferença, temos os dados de produção de uma empresa, em uma planilha com colunas devidamente nomeadas, considerados então estruturados, ao contrário de uma pilha de cartas de reclamação recebidas pela empresa, que por serem desestruturadas no que tange o conteúdo (uma carta é totalmente diferente da outra), precisam passar primeiramente por um crivo que irá filtrar as cartas por conteúdo, data, local entre outros critérios.

 O que são algoritmos?

Restringindo-se definição para a matemática e a Ciência de Computação, um algoritmo é uma sequência de ações, autocontida, a serem performadas. Algoritmos podem executar cálculos, processar dados e automatizar tarefas racionais.

Um algoritmo é um método eficiente, que possa ser expresso em uma quantidade finita de tempo e espaço e em uma linguagem formal, bem definida para calcular o resultado de uma função. A partir de um estado inicial e uma ou mais entradas iniciais, que talvez sejam vazias, as instruções descrevem um conjunto de cálculos que, quando executados, gera um número finito de estados sucessivos bem-definidos, eventualmente produzindo “saída” e terminando em um estado final. A transição de um estado para outro não é necessariamente determinística; alguns algoritmos, conhecidos como algoritmos randomizados, incorporam entrada aleatória.

 O que são informações?

Informação é o dado tratado através de processos estabelecidos de maneira uniforme, transformando-se em algo com significado real para quem as lê. Se trata da ordenação e organização dos dados de forma a transmitir significado e compreensão dentro de um determinado contexto. Seria o conjunto ou consolidação dos dados de forma a fundamentar o conhecimento.

Um exemplo simples é a diferença entre temperatura de um bebe e a sua febre: Se a temperatura de uma criança for de 37.5, mas você não tiver o algoritmo fornecido por seus familiares, este dado de 37,5 não indica problema algum, ao passo que se você tiver sim recebido o algoritmo que lhe diz que quando a temperatura T medida é maior que o limite L estabelecido, então temos indicação do Resultado de R, como febre.

 

A relação entre Internet das Coisas e dados

 

O dado é T, mas R é a informação, que realmente tem valor para quem monitora a criança.