Internet das Coisas

O que é Arduíno: conceito, vantagens e aplicações

O que é Arduíno: conceito, vantagens e aplicações

brincando de ideias

Desde que foi lançado em 2005 na Itália, o Arduíno trouxe grandes transformações no universo da programação, da robótica e da automação. Ao longo dos anos, ele foi utilizado tanto em aplicações mais simples, como acender uma lâmpada até usos mais complexos, como impressões em 3D.

Assim, o Arduíno tornou-se uma conhecida plataforma de testes para a prática da inovação. Neste artigo, vamos explicar seu conceito, vantagens e como as diversas aplicações possíveis o tornam um dispositivo bastante versátil que tem sido usado por diversas pessoas e empresas.

O que é Arduíno?

O Arduíno é uma plataforma de prototipagem (ou seja, que cria modelos de futuros projetos) e surgiu para ser um dispositivo que fosse ao mesmo tempo barato, funcional e simples de se programar. Basicamente, trata-se de um minicomputador que pode ser usado para realizar inúmeras funções. Inclusive, o sistema pode ser conectado a outros dispositivos, enviando e recebendo dados.

Arduino e Internet das Coisas

Para que o Arduíno possa transmitir dados – sendo usado para projetos de Internet das Coisas (IoT) – é necessária uma conexão, como a GSM (essa que usamos em nossos celulares, por exemplo). Assim, a plataforma interage com o ambiente por meio da comunicação M2M e de programações no hardware e software, usando a internet para enviar dados.

O canal Brincando de Ideias, novo parceiro da Arqia, explica na prática e de forma bastante didática como conectar o Arduíno à internet. Assista ao vídeo abaixo!

Quais são as vantagens do Arduíno?

Agora que você já sabe o que é e para que serve o Arduíno, você deve estar se perguntando: qual a vantagem dele? Um dos grandes benefícios é que ele é open-source, ou seja, sua licença é gratuita, permitindo que qualquer um possa construir sua linguagem e desenvolver seus próprios projetos.

Outra grande vantagem do Arduíno é sua facilidade de programação por usar um tipo de linguagem simples e versátil. Aliás, versatilidade é outra vantagem dele porque permite acoplar sensores para diversas finalidades, como medição de temperatura, movimento, velocidade ou até mesmo fumaça.

Quais suas aplicações?

Até agora, vimos como o Arduíno surgiu, para que ele serve e suas vantagens que têm colaborado para que empresas de diversos segmentos lancem projetos inovadores e de transformação digital. Mas na prática, como ele funciona e em que tipo de situações ele pode ser aplicado?

Imagine um sistema de detecção de fumaça em um hotel. Até aí, tudo bem, é apenas um sensor. Mas o que fazer com a detecção? Acionar os bombeiros? Disparar um alarme? Ligar o sistema de extintores? Ou tudo isso ao mesmo tempo? É isso o que o Arduíno pode fazer: basta programá-lo para que ele “decida” o que fazer.

O Arduíno tem sido usado em aplicações extremamente diversificadas. Na Construção Civil, protótipos estão sendo usados para o monitoramento de estruturas, como pontes. Na Medicina, dispositivos fazem leituras de sinais vitais de pacientes que necessitem de vigilância constante de médicos ou unidades de saúde.

Como vimos, o Arduíno permite múltiplas facilidades e recursos capazes de pôr em prática ideias inovadoras que possam ser validadas e testadas rapidamente. E, você, o que achou deste conteúdo? Compartilhe com quem você acha que gostaria de saber mais sobre este assunto!

Gostaria de saber mais sobre a utilização da conectividade? Entre em contato com a gente!